54% das empresas de ground handling têm pelo menos uma base operacional da região Sudeste

Sul e Nordeste abrigam cada uma das regiões com 33% das bases das Esatas

As empresas de serviços auxiliares de transporte aéreo atuam em 140 aeródromos em todo o Brasil e possuem bases de atendimento em todas as regiões do país. Só na região Sudeste, 54% das Esatas possuem pelo menos uma base operacional. No Sul, 33%, mesmo percentual do Nordeste. No centro-oeste estão localizadas bases de 27% das empresas do segmento e no Norte, 23%. O total bem acima de 100% revela uma característica das empresas de ground handling, possuir bases espalhadas pelo país. Outro dado interessante é que 51% das Esatas possuem uma base pelo menos nos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, que são regiões de maior tráfego aéreo do país. Os dados fazem parte do Panorama dos Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo no Brasil 2016, lançado no começo do mês de maio, como mais uma iniciativa da ABESATA. A publicação bianual revela ainda o potencial do mercado do setor no país, avaliado em R$ 3,8 bilhões, levando em conta os serviços auxiliares realizados pelas próprias companhias aéreas (serviços internalizados), pelos operadores de aeródromos e pelas chamadas Esatas. Deste montante, R$ 1,2 bilhão correspondem à participação destas empresas, cerca de 31% do mercado. Em todo o mundo, a média de participação das Esatas é de 50% do mercado, ou seja, há potencial para crescer, mesmo sem aumento da oferta de voos. Mais informações em www.abesata.org.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn