A difícil situação da Avianca Holdings

Empresa não está pagando seus credores e tem um prazo de quatro meses para fazer a reestruturação necessária

O CEO do Grupo Avianca com sede na Colômbia, Roberto Kriete, disse aos empregados e colaboradores da holding que a companhia “está quebrada”. Segundo o diretor executivo, a empresa não está pagando seus credores e tem um prazo de quatro meses para fazer a reestruturação necessária. Na última apresentação de resultados do trimestre foi dito que o grupo está tomando medidas como a venda de aeronaves antigas incluindo treze aeronaves Cessna 208, oito Embraer 190 e Airbus A318; renegociação de aviões já adquiridos; racionalização da malha aérea para excluir rotas insuficientemente lucrativas; plano de melhoria de eficiência operacional; alienação de ativos não essenciais; re-priorização de investimentos capex; e fortalecimento da estrutura de capital. Dado o momento delicado, a transportadora já havia admitido há duas semanas a possibilidade de recuperação judicial ou falência. A companhia é a segunda mais antiga do mundo, atrás apenas da KLM e faz parte da organização Star Alliance. Foto: Alex Sandro V. Barbosa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn