Aerolíneas Argentinas e Austral darão início ao processo de fusão

Processo poderá ser concluído até o final deste ano

Através de carta dirigida aos trabalhadores, a direção do grupo anunciou a fusão das companhias aéreas Aerolíneas Argentinas e Austral. No documento divulgado, se explica que a crise mundial provocada pelo COVID 19 impactou em cheio a indústria aerocomercial e não se sabe quanto durará esta situação. Tudo indica que ainda restam vários meses críticos pela frente sem passagens e operações regulares, o que significa um tremendo impacto para a indústria e a economia em geral. O Estado investe na linha aérea de bandeira porque esta gera benefícios econômicos e sociais que multiplicam o investimento realizado. Mas diante dessa crise tão profunda, os investimentos benéficos precisam se ajustar às prioridades. Dessa forma, a fusão permitirá a criação de uma nova unidade de negócios para oferecer manutenção de aeronaves a outras empresas e atores da indústria com uma lógica independente e que aproveitará a reputação ganha pela companhia em matéria de segurança, das certificações internacionais com as que conta e da infraestrutura que possui. De igual forma, se avançará na criação de uma unidade de negócios de carga, que aproveitará a experiência adquirida pela transportadora. Hoje, a empresa conta com uma área de manutenção específica para atender os aviões que pertencem à Aerolíneas Argentinas e outra para os aviões da Austral. Ainda assim, pilotos, tripulantes de cabine e em menor medida, o pessoal de terra também formam parte de uma das duas empresas, duplicando assim estruturas organizacionais. O processo começará uma vez que a assembleia de acionistas se reúna e se calcula que estará concluído até o fim do ano. Foto: Paulo Berger

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn