Aeroporto de Guarulhos realiza simulado de acessibilidade para a Olimpíada

Exercício-teste simulou desembarque internacional com conexão doméstica em terminais diferentes

O Comitê Técnico de Operações Especiais (CTOE) realizou no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, o terceiro simulado de acessibilidade para Passageiros com Necessidade de Atendimento Especial (PNAEs). O objetivo é testar os principais terminais envolvidos na operação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A agenda é uma ação do Subcomitê de Acessibilidade do CTOE, órgão criado no âmbito da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero). O simulado teve duração de cinco horas e contou com a participação de 70 voluntários, sendo 45 deles PNAEs, entre cadeirantes convidados pela Secretaria de Pessoas com Deficiência da Prefeitura de Guarulhos e deficientes visuais do Centro de Integração da Pessoa com Deficiência de Mogi das Cruzes (CIPD) e do Instituto Íris de Responsabilidade e Inclusão Social. Diferentemente dos testes realizados nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont, o de Guarulhos simulou uma situação real de desembarque durante a Olimpíada. Os voluntários seguiram os procedimentos oficiais de chegada dos atletas paraolímpicos, iniciando pelo desembarque internacional no terminal 3 do aeroporto. Em seguida, foram realizados os trâmites de imigração e alfândega, até a conexão desses passageiros para o Rio de Janeiro, com o embarque ocorrendo no terminal 1. A distância entre os terminais é de aproximadamente 2,2 km. A simulação do desembarque internacional foi feita em Boeing 777-300 da American Airlines, enquanto o embarque foi realizado em jato Airbus A330-200 da TAM.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn