Aeroportos terão operação especial durante os Jogos Olímpicos

Um total de 39 terminais terão atividades padronizadas durante o período

De acordo com diagnóstico divulgado pela Secretaria de Aviação com base na experiência olímpica de Londres, os aeroportos deverão registrar pelo menos quatro picos de movimentação de passageiros durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano. São eles: 5 de agosto, na abertura dos Jogos Olímpicos – mais de 90 mil desembarques; 22 de agosto – mais de 95 mil embarques; na abertura dos Jogos Paralímpicos, em 7 de setembro – com cerca de 45 mil desembarques – e no fechamento da Vila Paralímpica, em 19 de setembro– com mais de 40 mil embarques. Em setembro do ano passado, a SAC lançou o Manual de Planejamento do Setor de Aviação Civil para o evento, cartilha técnica para padronizar a operação dos 39 aeroportos (entre prioritários, monitorados e de apoio) que atenderão à principal demanda do megaevento. A cartilha define normas, procedimentos e fluxos de gestão e operação para áreas como Segurança e Defesa, Recursos Humanos e Treinamento, Melhorias de Conforto, Acessibilidade, Gerenciamento de Infraestrutura e Capacidade. Ao todo, 39 aeródromos, localizados nas cidades-sede e a uma distância máxima de 200 quilômetros delas, serão impactados pelas medidas. A coordenação não afetará os horários dos voos comerciais regulares, que continuarão tendo prioridade. O governo federal vai monitorar toda a operação a partir de uma Sala de Comando e Controle, localizada no Rio de Janeiro, que deve funcionar de 20 de julho a 24 de setembro, 24 horas por dia, com representantes de todos os órgãos públicos envolvidos na operação aeroportuária do País. Mais informações no portal www.aviacao.gov.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn