AirAsia projeta reduzir em 30% a força de trabalho e considera venda de participação

Companhia também reduzirá os salários dos funcionários restantes em até 75%

A transportadora de baixo custo do Sudeste Asiático AirAsia deve reduzir sua força de trabalho em até 30% e o fundador Tony Fernandes considera vender uma participação de 10% da empresa para levantar dinheiro. Tentando evitar uma crise de fluxo de caixa desencadeada pela pandemia do COVID-19 que dizimou o setor de viagens e turismo da região, a AirAsia também reduzirá os salários dos funcionários restantes em até 75% na tentativa de salvar a companhia. A redução incluirá o corte de 60% da tripulação de cabine e pilotos. A empresa opera rotas na Malásia, Tailândia, Indonésia, Japão, Índia e Filipinas. Quase todos os 20.000 funcionários da operadora foram reavaliados individualmente desde janeiro, com base na escala salarial e no desempenho, com expectativa de que a demissão continue até o final de julho. Os benefícios dos funcionários, que incluem voos gratuitos e descontos e cupons de refeição gratuitos, foram significativamente reduzidos. O governo da Malásia também está planejando canalizar mais de US$ 350 milhões para a AirAsia, Malaysia Airlines e Malindo Airways, como parte de um pacote mais amplo de resgate econômico. Mais informações no portal www.iata.org.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn