Azul apresenta os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2020

Prejuízo líquido excluindo variação cambial totalizou R$ 975,3 milhões no período

A companhia aérea Azul anunciou os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2020, que estão de acordo com as normas contábeis IFRS (International Financial Reporting Standards), incluindo a norma IFRS 16 e em reais. O resultado operacional atingiu R$ 173,6 milhões no período, com margem de 6,2%. Normalizando pelo impacto do COVID-19 e pela depreciação média do real de 18% em relação ao ano anterior, a margem operacional seria de 14,9%, um crescimento de 1,2 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2019. O prejuízo líquido excluindo variação cambial totalizou R$ 975,3 milhões, principalmente relacionado com o ajuste do valor da participação na TAP de R$ 618,5 milhões e as perdas com hedge de combustível. No final do primeiro trimestre, o total de caixa e investimentos da Azul era de R$ 3,1 bilhões. Incluindo reservas de manutenção e ativos disponíveis, a liquidez total foi de R$ 6,7 bilhões. A empresa terminou o mês de abril com uma posição de caixa ligeiramente acima da realizada em março e espera ter em maio e junho uma queima líquida de caixa entre R$ 3 a 4 milhões por dia, incluindo despesas com juros. Com a posição de caixa atual, a transportadora estima poder suportar o atual ambiente de demanda por mais de um ano se necessário. A frota operacional comercial totalizou 138 aviões no final do trimestre, incluindo 49 exemplares de nova geração e desde abril, a Azul vem operando em torno de 15 a 20 aeronaves. O programa TudoAzul apresentou crescimento de 18% no seu faturamento e terminou o período com mais de 12 milhões de membros e a receita da unidade de cargas cresceu 41% no trimestre comparado com o mesmo período no ano anterior. Foto: Renato Oliveira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn