Em participação na segunda edição do evento TC Day, organizado pelo TC, o CEO da Azul, John Rodgerson, comentou sobre o avanço da pandemia e as expectativas de recuperação do setor aéreo brasileiro. Rodgerson espera que a Azul Linhas Aéreas chegue no segundo semestre com níveis de receita iguais aos do período pré-pandemia.

Com recente experiência no Exterior, Rodgerson afirma que, com a vacina, os EUA estão voltando à normalidade, com aeroportos cheios e grande movimento – e espera o mesmo para a economia brasileira. “É questão de semanas e meses, e não anos. O Brasil vai bombar como os EUA estão também. Temos previsão de recuperação em menos de dois anos”, declarou.

O empresário ainda afirmou que a Azul é uma das poucas empresas aéreas que está se mantendo estável na pandemia e que, recentemente, trocou a frota dos aviões para aumentar eficiência e cortar gastos. “Tivemos que tomar decisões difíceis para nos manter, mas esperamos que, em breve, a companhia esteja melhor que em 2019. Antes da crise, estávamos com um dos maiores faturamentos do mundo”, contou.

Foto: Airbus