Bebê nasce num Airbus A320neo de Bangalore para Jaipur

As tripulações de cabine são treinadas para o raro caso de nascimentos a bordo, garantindo que não fiquem totalmente despreparados. Felizmente, também havia um médico neste voo que decolara de Bangalore, o Dr. Subahana Nazir, garantindo que o processo ocorresse da forma mais tranquila possível.

O bebê nasceu com segurança e a IndiGo solicitou que o Aeroporto de Jaipur fosse preparado com serviço médico no local para o passageiro extra. Em nota, a companhia aérea confirmou que tanto a mãe quanto o filho estão estáveis, garantindo um final feliz a essa surpresa.

As equipes IndiGo em Jaipur fizeram um cartão de agradecimento para a Dr. Nazir por sua ajuda no parto do bebê.

Esta é a segunda vez em seis meses que um bebê nasce em um voo da IndiGo. Em outubro, uma passageira deu à luz um menino durante um voo de Delhi a Bangalore.

De acordo com a MedAire, uma empresa de suporte médico de aviação, nascimentos em voos ocorrem apenas uma vez em 26 milhões de passageiros. Considerando que 4,5 bilhões de passageiros voaram em 2019, isso significaria cerca de 173 partos por ano.

No entanto, os voos não são o local ideal para dar à luz uma criança, razão pela qual as companhias aéreas não permitem que mulheres grávidas viajem após determinadas datas. A maioria das companhias aéreas impede que as mulheres grávidas viajem após 36 semanas de gravidez e exige um atestado médico durante o último mês. Em casos de complicações ou risco de partos prematuros, viagens são fortemente desencorajadas.

Considerando que partos em voos são raros, eles se tornaram eventos populares, sendo que as companhias aéreas costumam celebrá-los de alguma forma. Algumas companhias aéreas chegaram ao ponto de permitir que o recém-nascido viajasse de graça durante toda a vida ou oferecer uma recompensa de milhas para poucos afortunados. Atualmente não se sabe se IndiGo fará algo semelhante para celebrar este nascimento.

Nota do editor: Quando em 30 de outubro de 1929, a Sra. Evans entrou em trabalho de parto, ela e o marido médico correram para o Pan American Field (hoje Miami International Airport), onde já eram aguardados por outros médicos, enfermeiras e a mãe de Margaret num trimotor Fokker alugado para a ocasião. O avião decolou, a 20 minutos depois e já a uma altitude de 365 m, uma menina foi o primeiro ser humano a nascer num avião. Os Evans deram à menina o nome de Aerogene ou Airlene, dependendo da fonte.

Fonte: Divulgação

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn