Boeing investe em pesquisa para aprimorar experiência de voo

Fabricante busca compreender as necessidades fisiológicas e psicológicas dos passageiros dentro de aeronaves comerciais

Da aterrisagem ao pouso, a experiência de voar em uma aeronave é repleta de sensações que envolvem parâmetros de conforto, ruído e temperatura, além de fatores emocionais. Ao enfrentar viagens longas ou curtas, é necessário que os passageiros se sintam confortáveis, seguros e tranquilos. Frente a essa preocupação, os profissionais da fabricante norte-americana Boeing realizam pesquisas constantes com o público a fim de detectar possíveis melhorias nas aeronaves, visando garantir uma experiência de voo mais confortável e positiva. Nos estudos realizados, a companhia busca compreender as necessidades fisiológicas e psicológicas apresentadas pelos passageiros dentro de aeronaves comerciais. Um dos métodos adotados é solicitar aos entrevistados que descrevam o que consideram ser o voo ideal, o que tem levado a Boeing a desenvolver novas tecnologias e configurações de aeronaves de acordo com as expectativas do público. Em estudo realizado nos Estados Unidos, pesquisadores descobriram que o espaço não diz respeito somente a uma questão de centímetros, mas também está associado a uma dimensão psicológica, o que levou profissionais da companhia a tentarem aumentar a sensação de amplitude dentro das aeronaves e a profundidade arquitetônica do avião, o que liberta o passageiro da sensação de “aperto”. O formato físico dos compartimentos de bagagem, que estão mais elevados e distantes do passageiro, também amplia o espaço físico e psicológico. Além disso, se o cérebro observa mais caminhos e espaços a serem percorridos, o lugar também parece maior, mesmo que na realidade ele não seja. Assim, embasada em seus estudos, a Boeing sabe que é possível projetar aviões de acordo com as expectativas físicas e psicológicas dos passageiros e garantir uma melhor e mais confortável experiência de voo. Algumas das melhorias descobertas a partir das pesquisas da Boeing já estão sendo aplicadas aos modelos 737, 747, 777 e 787. Engenheiros também estão estudando novos modelos de interação entre passageiros, tripulação e aeronave por meio de smartphones e outros dispositivos móveis. No Brasil, o engajamento da companhia no sentido de oferecer mais conforto aos passageiros não é diferente. Entre setembro e outubro, a Boeing realiza testes de conforto com passageiros em parceria com a Poli-USP. As simulações ocorreram em uma réplica de cabine com 30 assentos, instalada dentro de uma câmara de pressão. A ambientação conta com espera em sala de embarque e serviço de bordo feito por um comissário profissional. Cada voluntário passa por uma bateria de testes, intercalados por aplicação de questionários. As condições de conforto são monitoradas por uma central de controle anexa à cabine e os resultados serão utilizados para definir os parâmetros que mais afetam a experiência de voo para então levar ao desenvolvimento de tecnologias e soluções que melhorarem a sensação de conforto dentro de aeronaves comerciais. As inovações deverão ser incorporadas aos futuros modelos de aeronaves da Boeing. Todas essas ações envolvendo os passageiros no processo de projeção de aeronaves e de novas tecnologias a serviço da aviação direcionam a fabricante para um relacionamento estreito com companhias aéreas e seus passageiros, parceria que permitirá um futuro de infinitas possibilidades quando o assunto é experiência de voo. Mais informações no endereço www.boeing.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn