Brasil precisará de 1.060 novas aeronaves nos próximos 20 anos

Quarto maior mercado de passageiros tem uma demanda projetada de mais de US$ 160 bilhões

De acordo com o recente estudo da fabricante de aviões Airbus, o Brasil precisará adquirir 1.060 novas aeronaves entre 2012 e 2031. As 700 aeronaves de corredor único, as 310 aeronaves de corredor duplo e as 50 aeronaves de grande porte previstas possuem um valor de mercado estimado atualmente em 160,7 bilhões de dólares e espera-se que ajudem a atender a demanda de linhas aéreas nacionais e estrangeiras, além de servir o crescente mercado de viagens aéreas do País.Com um PIB atualmente crescendo acima da média mundial, os indicadores socioeconômicos preveem que a economia do Brasil mais que dobrará nos próximos 20 anos. O mercado de tráfego aéreo doméstico do País dobrou desde 2006, ajudando a fazer do Brasil o quarto maior mercado mundial de transporte aéreo de passageiros, depois dos Estados Unidos, da China e do Japão. O tráfego aéreo internacional cresceu em 34% desde 2009, sendo as operadoras estrangeiras em grande parte responsáveis pela maior fatia do mercado. Como um dos principais destinos do turismo internacional e uma das dez maiores áreas metropolitanas do mundo, mais de um terço do tráfego de longo curso para a América Latina chega ou transita pelo Brasil, tornando São Paulo e Rio de Janeiro os principais pontos de entrada da região. Para atender a demanda crescente, aeronaves de muito grande porte, como o A380, estão agora prontas para atender os requisitos internacionais de tráfego aéreo necessários à realização de voos de longo curso para o Brasil. De acordo com o estudo, ao longo dos próximos 20 anos, as linhas aéreas que operam na América Latina necessitarão de mais de 2.100 novas aeronaves, sendo 1.660 de corredor único, 420 de corredor duplo e 40 de grande porte, totalizando cerca de US$ 242 bilhões. Em todo o mundo, cerca de 28.200 novas aeronaves no valor de US$ 4 trilhões serão necessárias para satisfazer a robusta demanda do mercado futuro. O relatório integral pode ser acessado no site www.airbus.com  

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn