A Pandemia do Covid-19 foi a principal fator do mau desempenho

Como esperado, o resultado financeiro das maiores companhias aéreas do Brasil despencou no segundo trimestre do ano. Dados revelados recentemente pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), mostrou que as três empresas aéreas brasileiras com mais participação de mercado — GOL, LATAM e Azul — tiveram prejuízo de R$6,2 bilhões no 2º trimestre de 2020. O resultado corresponde a uma margem líquida negativa de 399,6%, ante lucro líquido de R$191,8 milhões obtido no mesmo período de 2019. Os números resultam no maior impacto negativo obtido em um trimestre pelas empresas de toda a série histórica, iniciada em 2015.  Isto mostra que em seis meses, juntas, as companhias aéreas brasileiras acumulam prejuízo total de R$15,7 bilhões, o equivalente a uma margem líquida negativa de 129,6%, ante prejuízo líquido de R$107,2 milhões registrado no mesmo período de 2019. Foto: Luís Neves.