Conheça o programa da LATAM que voa em meio à pandemia

Mais de 400 profissionais de saúde e pessoas em tratamento médico foram transportadas por toda a América Latina

Em meio ao fechamento de fronteiras e às restrições adotadas pelos países provocados pela crise do COVID-19, transportar pacientes, profissionais de saúde, suprimentos médicos e remessas urgentes, como as de células-tronco e órgãos para transplantes, tem sido o grande desafio do programa do Grupo LATAM denominado Avião Solidário. Em razão do empenho e esforço das equipes em meio a pandemia, o projeto transportou mais de 400 profissionais de saúde para atender às necessidades causadas pelo vírus. Possibilitou também a transferência de mais de 300 pessoas em tratamento médico para receber atendimento ou cirurgias de emergência em toda a região. Além disso, pela primeira vez em sua história, desembarcou na China para transportar suprimentos médicos, incluindo máscaras e respiradores. Mais de 60 horas de viagem e uma equipe de 30 pessoas, entre o planejamento e a execução, participam da preparação desses voos, o que representa um grande desafio para a companhia, que até reconfigurou duas de suas aeronaves, removendo parte dos assentos da cabine para dar mais espaço à carga. Um evento inédito durante esse período foi o transporte de células-tronco por meio da LATAM Cargo. Como os aviões do tipo não tiveram restrições de operações, a empresa utilizou esse recurso para atender aos pacientes com leucemia no Chile e na Argentina. Três crianças e um adulto foram os receptores das células-tronco da Alemanha e do Brasil, que pela primeira vez viajaram aos cuidados dos pilotos dos aviões de carga durante o transporte. O programa tem uma aliança com a Fundação DKMS, cuja missão é encontrar doadores compatíveis para aqueles que sofrem de leucemia, independentemente de onde estejam no mundo. No final de 2019, a iniciativa, presente em toda a região (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador e Peru), transportou mais de 4.000 pacientes e equipes multidisciplinares, permitindo o embarque de mais de 800 órgãos e/ou tecidos e também a entrega de 87 toneladas de carga para necessidades de saúde e ajuda humanitária. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn