Emirates explica como é feita a proteção da frota mantida em solo

Rotineiramente, a empresa cobre todas os jatos que são retirados de operação por mais de 48 horas

Das 270 aeronaves em sua frota, a companhia aérea Emirates havia inicialmente estacionado 218 exemplares, que envolveram mais de 15.500 horas/homem de trabalho devido a pandemia global do COVID-19. Agora, está operando com cerca de 75 aparelhos voando e transportando pessoas em repatriação e carga em missões essenciais. Estes continuam a ser mantidos de acordo com os procedimentos operacionais padrão. Outras estão em manutenção pesada programada nos hangares da unidade Emirates Engineering. Rotineiramente, a empresa cobre todas os jatos que são retirados de operação por mais de 48 horas. Muito antes da pandemia, a Emirates teve que manter uma parte significativa de sua frota durante o fechamento da pista no Aeroporto de Dubai. Nessa condição em que os aviões são mantidos em solo durante muito tempo, todas as aberturas através das quais os fatores ambientais como areia, sujeira, água, pássaros e insetos, que podem aparecer dentro de uma aeronave são embrulhadas e vedadas. Isso inclui sondas pitot de estática, temperatura, sensores de ângulo de ataque, entradas e saídas de ar dos motores e entradas e saídas de ar da APU. Os interiores também são protegidos dos elementos. Os sistemas de água potável e os tanques de combustível de aeronaves são preservados e os sistemas de motores e APU são protegidos. O processo também envolve a lubrificação, limpeza e preservação do trem de pouso e sistemas de controle de voo. A equipe desliga todos os interruptores do cockpit, desconecta as baterias e instala travas da alavanca de controle e persianas. Após concluir os trabalhos de proteção e preservação, a equipe realiza verificações periódicas em intervalos de 7, 15 e 30 dias em toda a frota. Isso pode incluir inspeções simples para garantir que todas as tampas estejam no lugar e que não haja danos visíveis ou vazamentos externos. As verificações complexas incluem a remoção das tampas e a reativação dos sistemas de aeronaves, os motores em marcha lenta sem carga e os sistemas de controle de ar e dos motores.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn