Empresas aéreas propõem reajuste que recompõe o INPC

Benefícios serão reajustados em 11% retroativos a dezembro para todos os profissionais

Em nova rodada de negociação, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) propôs reajuste salarial que recompõe o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) integral aos trabalhadores da aviação comercial regular, além de reajuste de 11% nos benefícios. Para os aeroviários com salário de até R$ 1.500, grupo que representa aproximadamente 45% do efetivo desses profissionais, as empresas oferecem reajuste nos salários e pisos de 5,5% em fevereiro e mais 5,5% em junho, totalizando 11%. O INPC registrado até novembro de 2015 foi de 10,97%.
Aos que ganham acima de R$ 1.500, o reajuste será de 3% em fevereiro, acrescido de 2% em junho e outros 6% em novembro, totalizando 11%. Os aeroviários com salário acima de R$ 10 mil recebem reajuste de R$ 300 em fevereiro, mais R$ 200 em junho e outros R$ 600 em novembro, incorporando R$1.100 aos salários no final do período. Para aeronautas (comissários, pilotos e copilotos) o reajuste também será concedido em três parcelas: 3% em fevereiro, 2% em junho e outros 6% em novembro, totalizando 11%. Já os benefícios serão reajustados em 11% retroativos a dezembro para todos os profissionais. O teto do vale alimentação, que hoje é de R$ 4.000, terá acréscimo de 3% em fevereiro, 2% em junho e 6% em novembro. Mais informações no portal www.abear.com.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn