Grupo Lufthansa divulga números do segundo trimestre e dos primeiros seis meses do ano

Companhia acumulou prejuízo no semestre de 3,6 bilhões de euros devido a queda na demanda provocada pela pandemia

A queda na demanda por viagens aéreas devido à pandemia do COVID-19 levou a um declínio nas vendas de 80% no Grupo Lufthansa para 1,9 bilhões de euros no segundo trimestre de 2020. A maior parte do volume de negócios (1,5 bilhão de euros) foi gerada pela Lufthansa Cargo e Lufthansa Technik. O EBIT ajustado do grupo no período foi de menos 1,7 bilhões de euros apesar das extensas reduções de custo. As despesas operacionais foram reduzidas em 59%, principalmente através da introdução de trabalho de curta duração para grande parte da força de trabalho e da eliminação de despesas não operacionais. No entanto, essas medidas foram capazes de compensar apenas parcialmente a queda nas vendas. O prejuízo consolidado nos meses de abril a junho totalizou 1,5 bilhão de euros. No segundo trimestre, as integrantes do grupo transportaram 1,7 milhão de passageiros, 96% a menos que no ano anterior e a oferta diminuiu 95%. O fator de ocupação chegou a 56%, 27 pontos percentuais abaixo do ano anterior. Em todo o primeiro semestre do ano, as vendas do Grupo Lufthansa caíram 52%, para 8,3 bilhões de euros. O EBIT ajustado foi de menos 2,9 bilhões de euros e o EBIT foi de menos 3,5 bilhões de euros. A diferença entre os dois números principais resulta principalmente de depreciação não programada de aeronaves e direitos de uso de jatos no valor de 300 milhões de euros, depreciação de ágio de 157 milhões de euros e ajustes de valor de investimentos em joint ventures na divisão de tecnologia, totalizando 62 milhões de euros. Além disso, o desenvolvimento negativo do valor de mercado dos contratos para cobrir os custos de combustível teve um impacto negativo no resultado financeiro nos primeiros seis meses do ano, de 782 milhões de euros. Comparado ao nível do primeiro trimestre, esse efeito diminuiu 205 milhões de euros. O prejuízo do grupo no semestre foi de 3,6 bilhões de euros. As companhias do grupo transportaram um total de 23,5 milhões de passageiros nos primeiros seis meses do ano, dois terços a menos do que no mesmo período do ano passado  e a oferta diminuiu 61%. O fator de ocupação caiu 9 pontos percentuais, para 72% nesse período. A redução drástica dos investimentos, o foco de todo a empresa na garantia de liquidez e a gestão rigorosa do capital de giro limitaram a saída de recursos, apesar da queda significativa nos rendimentos. Assim, o fluxo de caixa livre ajustado totalizou menos 510 milhões de euros no primeiro semestre do ano. A liquidez disponível em 30 de junho era de 2,8 bilhões de euros, uma redução de 1,4 bilhão de euros em comparação com o nível no final do primeiro trimestre. O grupo já recebeu 2,3 ​​bilhões de euros do pacote de estabilidade desde o início de julho. Mais informações no portal www.lufthansagroup.com.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn