KLM estabelece ponte aérea de carga especial entre Amsterdã e a China

Companhia reativa dois jatos Boeing 747-400 Combi para operação exclusiva na linha

A perda de cerca de 90% dos voos entre a Europa e a Ásia resultou em uma grande escassez de capacidade de carga. Enquanto isso, a crise do COVID-19 provocou uma enorme necessidade de transporte rápido de equipamentos médicos e outros suprimentos entre os Estados Unidos, Europa e China. Dessa forma, a companhia aérea KLM implementou uma ponte aérea de carga especial entre a Holanda e a China. Para manter essa linha aérea vital nas próximas seis a oito semanas, a empresa utilizará o Boeing 747-400 Combi para o serviço. Essa ponte aérea garantirá a disponibilidade com dois voos semanais para Pequim e três para Xangai. Isso garantirá cerca de 250 toneladas de capacidade de carga extra em cada sentido por semana. Em vista do declínio de 90% nas operações e da capacidade futura prevista no transporte de passageiros, a KLM decidiu no início de março que retiraria das atividades os Boeing 747-400 restantes a partir de abril, em vez de no verão de 2021. No entanto, agora reativou duas aeronaves do tipo para serem usadas especificamente nessas duas rotas durante o período designado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn