Lufthansa

Atualmente a proporção de pilotos do sexo feminino nas empresas do grupo é de 6%

A companhia aérea Lufthansa está celebrando um aniversário muito especial no mês de agosto. Em 1988, Nicola Lisy e Evi Hetzmannseder foram as primeiras co-pilotos admitidas na empresa. As duas mulheres haviam completado o treinamento na escola de pilotagem de Bremen, juntamente com 14 candidatos do sexo masculino. As horas de voo na cidade de Phoenix, nos EUA, completaram o programa de treinamento. Depois de dois anos de preparação, as profissionais concluíram com sucesso seu treinamento de voo no Boeing 737-200 em Montreal, Canadá, na segunda semana de agosto de 1988. Como de costume, voaram nos primeiros meses como segundo oficial na rede europeia da companhia junto com pilotos instrutores e avaliadores antes que fossem autorizadas a sentar-se com o primeiro oficial na cabine de um Boeing 737-200. Nicola Lisy escreveu a história da aviação novamente cerca de dez anos depois, quando em janeiro de 2000 tornou-se o primeiro capitão do sexo feminino na Lufthansa. As mulheres no cockpit não são mais uma novidade. Mais de 10.000 pilotos trabalham nas aeronaves das empresas do grupo, com mais de 4.000 deles na Lufthansa. Cerca de 6% do pessoal da cabine de comando no grupo é do sexo feminino e as perspectivas são boas: 15% dos pilotos dos atuais cursos da European Flight Academy, que treinam pilotos para todas as unidades do Grupo Lufthansa, são mulheres.