Novos requisitos para viagens na região ameaçam a recuperação econômica

2021 começou como um ano promissor e de esperança para a recuperação socioeconômica global com o início das campanhas de vacinação. Saúde e segurança são e serão a prioridade número um. Por este motivo, o setor de aviação civil tem apoiado e acompanhado os Estados em seus esforços para evitar a disseminação do Covid-19 implementando rigorosos protocolos de biossegurança em todas as etapas da viagem.

Embora haja um sistema de rastreamento, a IATA observa uma nova imposição de medidas que estavam suspensas, como quarentenas além da exigência de testes e testes, bem como novas proibições de voos para determinados destinos. Tudo isso supõe um retrocesso nos esforços de recuperação de inúmeros setores da economia, como viagens e turismo, entre outros.

É neste sentido que o Conselho Internacional de Aeroportos da América Latina e do Caribe (ACILAC), a Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA), a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) e a Organização De Serviços De Navegação Aérea Civil (CANSO) expressam profunda preocupação com as medidas e restrições prematuras que afetam as viagens aéreas na região da América Latina e do Caribe e reitera o apelo aos governos para que trabalhem em conjunto na adoção de medidas equilibradas e padronizadas com base na avaliação de riscos e custos de oportunidades para a população, diretamente prejudicada pelas restrições que afetam milhões de empregos nos países.

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn