O mistério do 737 desaparecido

 

Em 19 de fevereiro, um Boeing 737 operado pela Fly Armenia deixou seu armazenamento em Tallinn, na Estônia, para passar por manutenção antes de entrar em serviço. O 737-300, registrado como EK-FAA, partiu de com destino, segundo as autoridades armênias, a Hostomel na Ucrânia, onde seria colocado em forma e devolvido à companhia aérea em uma data posterior.

Mas o avião não voou para Hostomel. Em vez disso, rumou para o sul, para Varan, na Bulgária. Isso por si só é bizarro, visto que a Bulgária, assim como a Romênia e os países bálticos pelos quais a aeronave passou, estão na EU, que proibiu aeronaves armênias de voar em seu espaço aéreo desde junho do ano passado.

Também bizarra é a falta de dados de rastreamento. Pesquisar a aeronave em vários sites de rastreamento sob seu registro não traz nada. No entanto, sabe-se que pousou na Bulgária.

No dia seguinte, um avião com o mesmo transponder deixou a Bulgária e voou para sudeste, entrando no espaço aéreo iraniano e não foi visto desde então. Supõe-se que tenha sido sequestrado ou derrubado.

Foto: Divulgação

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn