Privatização provoca boom de novos voos internacionais

Terminais investem em expansão e atraem companhias aéreas depois de privatizados

Os investimentos alavancados a partir da concessão dos principais aeroportos do país permitiram um boom na criação de rotas internacionais. O ingresso da iniciativa privada à frente da operação de Guarulhos, Viracopos, Brasília, Galeão e Confins tirou do papel construções para desafogar os gargalos de terminais, pistas e pátios da rede aeroportuária, além de desburocratizar a administração. Novos voos foram criados em Guarulhos, abrindo as portas do Brasil para destinos antes não operados, como Adis Abeba, na Etiópia e Casablanca, no Marrocos. Em outros terminais, rotas foram criadas, possibilitando, assim, a moradores de outras cidades voar sem escala para destinos importantes nas Américas. Os resultados em Viracopos, Brasília e Guarulhos são percebidos com mais força por terem sido os primeiros aeroportos concedidos à iniciativa privada. Em todos, as primeiras obras já foram concluídas. Segundo a Associação Nacional das Empresas Administradoras de Aeroportos, até a Copa do Mundo, aproximadamente R$ 1 bilhão foi investido em melhorias, como a construção de terminais, caminhões contra incêndio, comunicação e sinalização e a ampliação de pátios e pistas. Mais informações no portal www.gru.com.br. Foto: www.aeroin.net

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn