Qantas realiza segundo voo de pesquisa direto entre Londres e Sydney

Operação levará cerca de 50 passageiros e tripulantes, a fim de proporcionar ao 787-9 o alcance necessário para a travessia de 17.800 km, com duração prevista de 19 horas e meia

A companhia aérea Qantas está se preparando para o seu segundo voo de pesquisa de longo curso, como parte de estudos científicos para minimizar o efeito jetlag para passageiros e melhorar o bem-estar da tripulação. A primeira operação de pesquisa ocorreu entre Nova York e Sydney sem escalas, há quatro semanas, com 49 passageiros e tripulantes. Reduziu cerca de três horas o tempo típico da viagem dos atuais voos com uma escala. A transportadora propôs as operações de entrega de três aeronaves 787 Dreamliner, que seriam transportadas de Seattle para a Austrália. Um terceiro voo de estudo, repetindo a rota entre Nova York e Sydney, será realizado em dezembro. Pesquisadores viajarão novamente na operação sem escala do Dreamliner para coletar dados de passageiros e tripulantes. As conclusões dos três voos serão usadas para informar serviços futuros e design de produtos, visando aumentar o bem-estar e o conforto durante as viagens em voos de longo curso, em particular os voos diretos que a Qantas espera operar em uma base comercial entre a costa leste de Austrália e Londres e Nova York. O voo de pesquisa levará cerca de 50 passageiros e tripulantes, a fim de proporcionar ao 787-9 o alcance necessário para a travessia de 17.800 km, com duração prevista de 19 horas e meia. A Qantas começou a voar entre Londres e Sydney em 1947. Demorava cinco dias com seis paradas. Hoje, a companhia voa de Londres a Perth sem escalas em cerca de 17 horas e a rota tem a mais alta classificação de satisfação do viajante do que qualquer outro voo na rede internacional da Qantas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn