Região Sul tem 5 das 10 rotas aéreas mais desejadas pelos passageiros

Novos trechos podem ampliar em quase meio milhão de passageiros a movimentação nos aeroportos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná

De acordo com estudo inédito da Secretaria de Aviação, cinco das dez rotas aéreas mais desejadas pelo passageiro brasileiro envolvem origens e destinos da Região Sul do País. Se fossem lançados hoje, cinco voos regulares poderiam movimentar um adicional de até meio milhão de passageiros nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul: de Blumenau para São Paulo (133 mil passageiros em demanda potencial), de Cuiabá para Curitiba (97 mil), de Curitiba para Salvador (91 mil), de Gramado para São Paulo (81 mil) e de Curitiba para Fortaleza (80 mil). Ao todo 23 municípios gaúchos, 15 catarinenses e 13 paranaenses apresentam mercado com potencial de desenvolvimento na aviação da Região Sul. O estudo identificou 384 origens e destinos no mapa da aviação dos três estados do Sul. Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina correspondem, respectivamente, a 6,2%, 4,2% e 3,5% do fluxo total de passageiros no Brasil. A região também é responsável por parcela importante na movimentação interestadual de passageiros. Viajantes que saem do Paraná para São Paulo representam 11,8% do fluxo aéreo interestadual no País, a terceira principal rota neste ranking; saindo do Rio Grande do Sul para São Paulo são cerca de 9,7% do total; e o trecho de Santa Catarina para São Paulo corresponde a 8,6% do trânsito interestadual de passageiros no Brasil. Entre municípios, as rotas em destaque são: Porto Alegre-São Paulo (9% do total, a 5º rota intermunicipal mais demandada), Curitiba-São Paulo (8% do total, em 7º lugar) e Florianópolis-São Paulo (6% do total, em 9º). O Aeroporto de Porto Alegre é o quarto do País com maior número de municípios de influência: 214. Isso significa que o terminal Salgado Filho, na capital dos gaúchos, recebe passageiros de 214 municípios ao longo de um ano. Somente Guarulhos, Campinas e Confins têm abrangência mais ampla. Mais informações no portal www.aviacao.gov.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn