Setor aéreo responde por 4,2% da produção econômica do estado do Rio de Janeiro

Estudo inédito foi divulgado pela ABEAR, com a colaboração da GO Associados

Um estudo inédito da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, com a colaboração da GO Associados, mostra que o transporte aéreo contribui com 4,2% da produção total do Rio de Janeiro, ou o equivalente a R$ 45,8 bilhões. Nesse valor, está incluída a receita das companhias aéreas (transporte de passageiros e cargas) e de seus fornecedores, mais o turismo viabilizado pelo setor aéreo. Também entra na soma o consumo familiar dos trabalhadores que integram essa cadeia. A parcela é superior à contribuição do setor medida no plano nacional, estimada em 3,1% do total da produção brasileira. Além disso, a aviação e os setores que ela impulsiona geraram 988,7 mil empregos no Rio de Janeiro em 2015, com o pagamento de quase R$ 9,1 bilhões em salários. O setor aéreo contribui também com a arrecadação de R$ 3,9 bilhões em impostos no estado. O estudo tem como objetivo medir o impacto da aviação na economia nacional e em todos os estados brasileiros, mais o Distrito Federal. O levantamento tem como base o ano de 2015 e usa fontes públicas, tais como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Em termos relativos, para cada R$ 1 que a aviação adiciona à produção econômica do estado, R$ 5 são gerados em produção na cadeia do turismo catalisado pelo modal de transporte. No tocante aos empregos, para cada posto de trabalho ocupado na aviação, 8 outras pessoas são contratadas no turismo derivado do Rio de Janeiro, que contribui com 11,46% do total de embarques anuais em voos domésticos, parcela superior à participação de sua economia na produção brasileira, de 10,94%. A quantidade de viagens aéreas entre os cariocas é de 0,67 embarque por habitante, superior a média do país, de 0,47. O estado apresenta altíssima densidade populacional e detém a terceira maior economia da federação, com produção per capita 30% acima da média nacional e grande destaque para os setores industrial e de serviços. Estes fatores se associam a uma movimentação turística muito significativa. A penetração do transporte aéreo de passageiros, como seria esperável, resulta bastante acima da média nacional. O transporte de carga, por outro lado, é relevante, mas com números inferiores aos da atividade de passageiros. Mais informações no portal www.abear.com.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn