Swiss anuncia a retomada de rotas a partir de Zurique e Genebra no próximo inverno europeu

Em vista das numerosas restrições de viagem e disposições de quarentena, os novos horários oferecerão entre 30 a 40% da oferta fornecida no mesmo período do ano passado

A companhia aérea Swiss anunciou que irá restaurar vários outros destinos em sua programação de voos partindo de Zurique e Genebra no próximo período de inverno europeu. Como resultado, cerca de 85% da rede anterior receberá novamente serviços. Em vista das numerosas restrições de viagem e disposições de quarentena, os novos horários oferecerão entre 30 a 40% da oferta fornecida no mesmo período do ano passado. O cronograma de inverno inicialmente planejado pela empresa teve que ser substancialmente revisado ​​para baixo e os níveis de capacidade originalmente previstos para outubro, agora só serão alcançados no final do próximo período de inverno. Ajustes adicionais também podem ser necessários, dependendo principalmente dos desenvolvimentos globais futuros na frente de quarentena. No segmento de longo curso, a Swiss retomará os serviços regulares para Boston a partir de outubro. A rota receberá inicialmente o serviço duas vezes por semana, passando para três vezes em março de 2021. Joanesburgo também verá os serviços restaurados com três frequências semanais. A operadora também oferecerá ainda três voos semanais na rota entre Zurique e Dubai a partir do final de outubro, o que deve aumentar para pelo menos cinco serviços semanais no médio prazo. No futuro, Muscat será servido sem escalas de Zurique com um voo da Edelweiss. A Swiss também planeja realizar três voos semanais para Los Angeles e Miami, e para Delhi a partir de março do próximo ano. O serviço continuará nas rotas de longo curso existentes entre Zurique e Newark, Nova York/JFK, Chicago, São Francisco, Montreal, São Paulo, Tel Aviv, Mumbai, Bangkok, Cingapura, Tóquio, Hong Kong e Xangai. A empresa é capaz de oferecer essa variedade de operações de longo curso em razão da forte demanda por transporte de carga. Foto: Renato Oliveira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn