Teca de Belém alcança 100% de nacionalização de cargas locais

Todos os volumes de importação armazenados no complexo logístico passaram pelo processo de desembaraço aduaneiro dentro do próprio Teca

A Infraero anunciou que em 2016, o terminal de logística de carga do Aeroporto de Belém/Val-de-Cans/ Júlio Cezar Ribeiro/PA alcançou o índice de 100% de nacionalização das cargas de importação TC 6 (aquelas destinadas ao próprio estado). Isso significa que todos os volumes de importação destinados a localidades dentro do Pará armazenados no complexo logístico passaram pelo processo de desembaraço aduaneiro dentro do próprio Teca. Esse resultado destaca a capacidade do complexo para processamento de cargas e para garantir a agilidade do fluxo logístico local e as condições oferecidas pela Infraero para os clientes que utilizam os serviços de Soluções Logísticas oferecidos em toda a rede. O complexo conta com um sistema informatizado de controle de cargas e monitoramento 24h das áreas internas e externas do armazém e pode armazenar de 100 toneladas de cargas comuns, contando também com até 55 m³ de área para cargas refrigeradas; até 5 m³ de área para cargas congeladas; e até 13 m² de área para receber cargas com temperaturas controladas (entre 16 º C e 25º C). No ano passado, foram movimentadas 912 toneladas de cargas no complexo, sendo 283 toneladas na importação e 629 na exportação, área em que o Teca registrou crescimento de 3,7% na movimentação em relação a 2015. O Aeroporto de Belém conta com voos internacionais diretos para Portugal e Estados Unidos, que também trazem cargas de importação para o terminal. As aeronaves têm capacidade de transportar até 16 toneladas de cargas paletizadas por trecho.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn