Transposição de aerovias para sistema digital e de satélite será concluída em 2016

Com a mudança, aeronaves podem seguir trajetórias de voo mais curtas e diretas

Até 2016, as aerovias do espaço aéreo brasileiro passarão do sistema convencional baseado em auxílios de navegação em solo via ondas de rádio, para as rotas de navegação por área (RNAV), orientadas a partir de satélites e sistemas digitais de bordo. A mudança já vem sendo realizada e está em funcionamento nas aerovias de maior fluxo entre as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Todas as chamadas aerovias superiores, acima de 7.468 metros (24.500 pés), geralmente usadas pela aviação comercial na etapa de voo de cruzeiro, vão operar pelo sistema. Com o RNAV, as aeronaves não precisam fazer o movimento de zigue-zague entre auxílios baseados em solo para alcançar seus destinos. Elas são orientadas por meio de satélites e outros recursos digitais, que ajudam a manter a rota na demarcação planejada. A tecnologia faz parte do pacote de recursos da Navegação Baseada em Performance (PBN). O sistema tem sido implementado de forma gradual e harmonizado com os outros projetos do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) por meio do Programa Sirius e de acordo a metodologia do Aviation System Block Upgrade (ASBU). Tudo é feito com foco na visão da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). O sistema também vem sendo implantado nas áreas de terminais aéreas. Mais informações no portal www.fab.mil.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn