UE proíbe aeronaves bielorrussas devido a desvio forçado da Ryanair

 

A União Europeia proibiu as companhias aéreas bielorrussas do espaço aéreo e dos aeroportos de seus 27 estados membros em resposta ao incidente de 23 de maio, quando o governo da Bielorrússia forçou um voo da Ryanair a pousar na capital Minsk para que pudesse prender o dissidente político Roman Protasevich.

 

Um pacote de medidas punitivas acordado durante uma reunião de emergência do Conselho Europeu na noite de segunda-feira também pediu mais sanções econômicas contra o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko e seus associados.

 

Exigindo a libertação imediata de Protasevich e sua companheira de viagem Sofia Sopega, que foram detidos depois que as autoridades da Bielorrússia ordenaram que os passageiros do voo 4978 saíssem da aeronave quando ela pousou em Minsk, o Conselho Europeu pediu à ICAO que "investigue com urgência este incidente sem precedentes e inaceitável". O Conselho da ICAO planeja realizar uma reunião especial em 27 de maio, da qual poderão surgir novas medidas contra a Bielo-Rússia.

 

Foto: Belavia

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn