Coroa do Avião

Local é voltado para a aviação executiva e permite abrigar todos os tipos de helicópteros, aviões e jatos executivos

Dois novos negócios do setor foram atraídos ao Estado por conta do Aeródromo Coroa do Avião, já em funcionamento há três anos e outorgado pela Secretaria de Aviação Civil para explorar comercialmente pousos e decolagens de aeronaves. No último mês de outubro, começou a operar o posto fixo de combustíveis em Igarassu, para abastecer jatos executivos e helicópteros de forma permanente. O posto integra a rede de combustíveis Recife Jet Service, revendedora autorizada da Petrobras. Além disso, a Marte Updates & Avionics, especializada na manutenção eletrônica de aeronaves, se instala no local ainda nesse semestre. Com a chegada em Pernambuco, a empresa será a única a oferecer esse serviço no Norte-Nordeste. Antes, os proprietários dos aviões eram obrigados a enviar os aparelhos a São Paulo, para inspeção obrigatória. O Aeródromo Coroa do Avião funciona hoje com oito hangares, mas o projeto é chegar a 40. Desde sua inauguração em 2013, começou a movimentar o setor atraindo empresas que resolveram descentralizar suas operações do Sudeste. Hoje estão instaladas ou em processo de implantação oficina de jatos, uma escola de inglês para pilotos, uma fábrica de confecção de capas para avião e uma empresa de táxi aéreo. Dentre os projetos futuros está a ampliação da pista de pouso, que possui 1.281 metros de comprimento por 30 metros de largura. O Aeródromo Coroa do Avião é voltado para a aviação executiva e permite abrigar todos os tipos de helicópteros, aviões e jatos executivos, bem como aviões ATR 42, com capacidade para transportar até 46 passageiros. Distante 23 quilômetros da capital pernambucana e instalado em uma área de 90 hectares, recebe em média, cerca de 120 pousos e decolagens/mês.