Aerovale suspende obras por determinação judicial e recorre de processo ambiental

Aeródromo poderá operar voos executivos e terá hangares de manutenção e taxi aéreo

O aeroporto privado situado em Caçapava/SP, foi notificado da decisão da Justiça de embargar as obras. As licenças ambientais emitidas pela Cetesb estão sendo questionadas pela Justiça, em um processo que envolve, além da própria Cetesb, o Aerovale e a Construtora Penido, responsável pelo empreendimento. O aeroporto começou a ser projetado há 10 anos e hoje é fruto de um investimento de 250 milhões de reais. O aeródromo já foi aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil e poderá operar voos executivos. A pista será cercada por hangares e um condomínio industrial/ empresarial. Ao todo são 305 lotes. As obras em fase final para entrega do condomínio se concentram agora no asfaltamento dos acessos à pista e no terminal de passageiros. No Aerovale, vão se instalar empresas de manutenção de aeronaves, de táxi aéreo, hangares e outros. Mais informações em www.aerovale.com.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn