Bombardier anuncia 2.500 demissões em consequência da pandemia

A maioria dessas reduções impactará as operações de fabricação no Canadá e será realizada progressivamente ao longo do ano

A fabricante canadense Bombardier anunciou que está ajustando sua força de trabalho para se alinhar às condições atuais do mercado, refletindo as extraordinárias interrupções e desafios da indústria causados ​​pelo COVID-19. Quando a pandemia surgiu, a empresa suspendeu as operações de manufatura para apoiar os esforços do governo local para diminuir a propagação do vírus e proteger a saúde e a segurança de funcionários, parceiros e clientes. No mês passado, implementou procedimentos e salvaguardas abrangentes para proteger ainda mais os empregados à medida que as operações de fabricação eram retomadas. Agora, com as entregas de jatos executivos em todo o setor com previsão de queda de aproximadamente 30% em relação ao ano anterior, a Bombardier adota uma redução na força de trabalho para garantir que saia da atual crise. Consequentemente, tomou a difícil decisão de dispensar aproximadamente 2.500 funcionários. A maioria dessas reduções impactará as operações de fabricação no Canadá e será realizada progressivamente ao longo de 2020. As operações mundiais de atendimento ao cliente continuaram a operar em grande parte ininterruptamente durante toda a pandemia. A Bombardier espera registrar uma taxa especial de aproximadamente US$ 40 milhões em 2020 para esse ajuste da força de trabalho.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn