Bombardier vai parar de fabricar o Learjet

O Learjet 75 Liberty entrou no mercado no final do ano passado, mas a produção da linha completa Learjet está chegando ao fim no final de 2021 como parte de uma série de medidas de redução de custos. Mas a Bombardier prometeu suporte contínuo.

O aumento nas entregas globais de 7500 levou a um crescimento de 3 por cento ano a ano nas receitas de aeronaves executivas da Bombardier para US$ 5,6 bilhões, mas a empresa está encerrando a produção de Learjet até o final do ano, demitindo 1.600 trabalhadores.

No final do ano passado, a Bombardier disse que planejava anunciar medidas agressivas para resolver sua dívida assim que se tornasse uma empresa de aviação executiva pura, após a venda de seu negócio ferroviário – sua última unidade de aviação não executiva – para a Alstom.

Ao divulgar os resultados de 2020 ontem (11/02), o presidente e CEO da Bombardier, Éric Martel, disse que a decisão de encerrar a produção após uma história de quase 60 anos não foi fácil de ser tomada. Observando que mais de 3.000 Learjet foram entregues desde que a marca entrou no mercado em 1963, ele disse: “O icônico Learjet teve um impacto notável e duradouro na aviação executiva”. No entanto, ele acrescentou: “Dado o número de novos participantes no segmento de jatos leves e a dinâmica desafiadora do mercado, precisamos concentrar nossos esforços futuros em nossas famílias de aeronaves Global e Challenger mais lucrativas”.

“A redução da força de trabalho é sempre muito difícil e lamentamos ver funcionários talentosos e dedicados deixarem a empresa por qualquer motivo”, disse Martel. “Mas essas reduções são absolutamente necessárias para reconstruirmos nossa empresa enquanto continuamos a navegar pela pandemia.”

Foto: Divulgação

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn