Guerra contra os helicópteros esquenta em Nova York

A cidade de Nova York tem um relacionamento problemático com a indústria de helicópteros desde que um Sikorsky S-61 perdeu uma pá do rotor enquanto estava pousado no topo do prédio da Pan Am em 1977, matando cinco. Mas o que havia sido uma détente incômoda por décadas agora parece à beira de uma guerra total, com os principais políticfos da cidade pressionando para limpar os helicópteros civis dos céus de NY para sempre.

Paul Vallone está liderando o ataque. O presidente do Comitê de Desenvolvimento Econômico (EDC) do Conselho da Cidade de Nova York tem pouca simpatia pela indústria de helicópteros de lá. Em uma audiência do EDC no mês passado, Vallone acusou a indústria de gerar ruído que está “incomodando nossos bairros, teremos uma vitória”, disse ele.

O EDC recebeu o testemunho de uma variedade de ativistas comunitários, que disseram que o ruído do helicóptero causou doenças que vão desde déficit cognitivo a problemas psicológicos e doenças cardíacas. “A pessoa logo ficará louca antes de morrer de ataque cardíaco”, disse Ajit Thomas. Steven Fox, residente de Riverside Drive, comparou o barulho do helicóptero da cidade a "viver em uma zona de guerra".

O projeto de lei 2026 proibiria os helicópteros fretados de decolar e pousar nos dois heliportos de propriedade da cidade – Manhattan Downtown e East 34th Street – a menos que fossem determinados a cumprir os requisitos de ruído do Estágio 3.

Foto: Divulgação

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn