ANAC interdita sete aeronaves na campanha contra o uso de táxi-aéreo clandestino

Operações especiais ocorreram nos estados do Mato Grosso do Sul e Ceará

No escopo da campanha lançada em junho deste ano voe seguro, não use táxi-aéreo clandestino, a ANAC realizou duas apurações especiais que culminaram na suspensão de sete aeronaves. As fiscalizações ocorreram nos estados do Mato Grosso do Sul/MS e no Ceará/CE e também resultaram na suspensão imediata de uma habilitação de piloto, na investigação de duas empresas de turismo e na abertura de inquérito criminal pela Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. A partir de investigações realizadas pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado, a ANAC suspendeu cautelarmente seis aeronaves por realizarem o serviço de táxi-aéreo irregular, sem os certificados necessários para esse tipo de operação, e suspendeu a habilitação de um piloto em Campo Grande/MS. A DECO também constatou uma série de operações irregulares por empresas de turismo no estado, colocando em risco a segurança da aviação e a integridade física das pessoas a bordo e em solo. As duas empresas de turismo investigadas poderão ser punidas pela ANAC e pela PC-MS. Essa ação também fez parte do escopo da Operação Ícaro, que tem o objetivo constante de reduzir o número de acidentes na região, verificar as condições de aeronavegabilidade e segurança de voo das aeronaves civis, e recuperar produtos de furto com consequente identificação de autores e receptadores. As apurações continuam e poderão ser aplicadas sanções como multas, cassação da habilitação do piloto envolvido e, ainda, denúncia criminal, por parte da DECO, dos envolvidos. Esta ação, juntamente com a campanha, cujo objetivo é conscientizar os usuários sobre os riscos de contratar um serviço irregular de táxi-aéreo e, ao mesmo tempo, intensificar a fiscalização, faz parte do esforço concentrado ao combate à aviação clandestina e soma aos esforços de outras ações do tipo, inclusive da interdição do helicóptero que prestava serviço aeromédico para o evento Rally dos Sertões. Mais informações no portal www.anac.gov.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn