Aviação agrícola no Brasil completa 70 anos

Serviço especializado visa proteger ou fomentar o desenvolvimento da agricultura por meio de operações aéreas para aplicação de fertilizantes, sementes e defensivos

A Agência Nacional de Aviação Civil participou do Congresso Sindag Mercosul 2017, promovido pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), em Canela, no Rio Grande do Sul. O evento reuniu operadores, empresários, pilotos, pesquisadores e autoridades da área para abordagem de atualidades sobre tecnologia, sustentabilidade e questões ambientais ligadas ao segmento. Aviação agrícola é um serviço especializado que visa proteger ou fomentar o desenvolvimento da agricultura por meio de operações aéreas para aplicação de fertilizantes, sementes e defensivos, povoamento de lagos e rios com peixes, reflorestamento e combate a incêndios em campos e florestas. Essas operações podem ser conduzidas por pessoas físicas ou jurídicas que possuam certificado específico para executá-las. Até janeiro deste ano, a frota aeroagrícola somou 2.083 aeronaves certificadas pela ANAC, sendo que 1.249 delas, equivalente a 59,9% de todo o contingente, são da fabricante brasileira Embraer-Neiva. Também constam nos registros da Agência 269 empresas do setor já certificadas. A média de crescimento da frota de 2009 a 2016, foi de 5% ao ano. O estado do Mato Grosso dispõe do maior número de aeronaves agrícolas certificadas. São 462, equivalente a 22,1% da frota nacional; seguido do Rio Grande do Sul, com 418 (20%); e São Paulo, com 311 aeronaves (14,9%). Mais informações no portal www.anac.gov.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn