DECEA realiza palestra sobre Busca e Salvamento

Evento faz parte da campanha para conscientizar os usuários de aeronaves e embarcações sobre o registro de seus equipamentos

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), por meio do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), promoveu, no último dia 30 de setembro em Goiânia/GO, uma palestra sobre o Sistema de Busca e Salvamento. O evento reuniu pilotos, alunos de escolas de aviação, profissionais do Corpo de Bombeiros e Policia Militar de Goiás, além de representantes da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). As funcionalidades do Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico Brasileiro (SISSAR) foram apresentadas pelo controlador de tráfego aéreo do Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico de Brasília (ARCC-BS), Sargento Yuri Igor Fernandes Luz. O militar também falou sobre o serviço prestado pelo DECEA, órgão central do SISSAR, pelos Centros de Coordenação de Salvamento (ARCC) e pelos elos de execução, formados por unidades aéreas da Força Aérea Brasileira (FAB). “É importante informar à comunidade aeronáutica como o Sistema de Busca e Salvamento funciona e que está à disposição dos usuários. Prestamos um serviço 24 horas e estamos sempre preparados para atuar”. Na apresentação do Tenente Ronan, o tema foi o funcionamento do COSPAS-SARSAT, tecnologia de comunicação via satélite que permite localizar embarcações, aeronaves e pessoas. “É utilizado pelo sistema de busca e salvamento brasileiro para cobrir uma área de 22 milhões de km²”, explicou o chefe do BRMCC. O oficial alertou para a importância do registro das balizas de emergência ao sistema de cadastro INFOSAR. Desde janeiro de 2016, quando o sistema entrou em funcionamento, cerca de 4.000 usuários registraram suas balizas. “Quando os proprietários de aeronaves e embarcações que possuem balizas de emergência (ELT e EPIRB) ou localizadores pessoais (PLB) registram seus equipamentos, os dados necessários estarão especificados no formulário, permitindo identificar se o sinal emitido é verdadeiro, a partir do contato com o usuário. Isso evita a perda de tempo prejudicial ao salvamento”, afirma o Tenente Ronan. Segundo dados do BRMCC, o sistema COSPAS-SARSAT recebe, em média, 30 alertas por dia, um total de dez mil por ano. Desses, 99% são falsos. O DECEA tem promovido campanhas de conscientização para destacar a importância do registro das balizas pelos proprietários de aeronaves e embarcações. “Ele está nos ajudando a ajudá-lo. Esse é um serviço gratuito e o registro pode ser feito através do endereço infosar.decea.gov.br”, esclarece o oficial. O objetivo do evento foi conscientizar os pilotos sobre a importância desses equipamentos, reduzindo o tempo de resposta do Sistema de Busca e Salvamento em caso de um acidente aeronáutico. Foto: Luiz Eduardo Perez

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn