FAB

Desenvolvido a partir do Mi-24 russo, modelo incorpora várias inovações tecnológicas

Há 10 anos, ocorreu na Base Aérea de Porto Velho/RO, a cerimônia oficial de incorporação dos helicópteros Mi-35M na Força Aérea Brasileira. Os 12 aparelhos recebidos designados AH-2 Sabre, foram entregues em quatro lotes com três aeronaves cada e atualmente, acumulam mais de 8 mil horas de voo. O vetor representa um enorme ganho operacional para o Esquadrão Poti, que passou a voar uma aeronave genuinamente de ataque, preenchendo uma lacuna operacional que existia na FAB antes da sua chegada. Desenvolvido a partir do helicóptero russo Mi-24, o modelo incorpora várias inovações tecnológicas, mantendo as características principais de seu antecessor, que são o poder de fogo, a blindagem e a robustez. O helicóptero é capaz de realizar missões em ambientes de baixa visibilidade, nos períodos diurno e noturno. Possui um canhão de 23mm de alta cadência fixado a uma torreta móvel sob o seu nariz e pode ser configurado com lançadores de mísseis ar-superfície Ataka e foguetes não-guiados de 80mm. O emprego dos armamentos é realizado com o auxílio do sistema eletrônico e óptico Giro-estabilizado GOES-342, que permite a detecção e a identificação de alvos por meio de imagem TV ou termal. Dentre os seus sistemas defensivos, pode-se destacar o RWR (Radar Warning Receiver), IR (infrared) jammer e flare, além do supressor de calor na saída dos motores. Mais informações no portal www.fab.mil.br. Foto: CECOMSAER/Sgto. Resende