FAB completa 40 anos do recebimento dos caças F-5

Modernizado em 2006, o supersônico é a principal aeronave utilizada na defesa aérea brasileira

A Força Aérea Brasileira está completando 40 anos do recebimento dos primeiros caças F-5 em Palmdale, nos Estados Unidos, onde foi fabricado. As três primeiras aeronaves, destinadas ao treinamento de pilotos, chegaram efetivamente ao Brasil em março de 1975 na Base Aérea de Belém e depois foram deslocados para a Base Aérea do Galeão. Com duas turbinas a jato e possibilidade de atingir uma velocidade de até 1.316 km/h, a chegada dos caças representou um avanço para a defesa aérea do país, com a viabilidade de executar missões de interceptação, patrulha aérea de combate e escolta, reconhecimento aéreo e socorro em voo. Atualmente, as aeronaves já cumpriram quase 285 mil horas de voo pela FAB. Naquele ano, o governo federal adquiriu 42 caças do tipo. Ao longo desses 40 anos, o modelo participou de diversas missões para a segurança do País, a exemplo da Guerra das Malvinas, quando aviões ingleses foram interceptados por caças brasileiros e obrigados a pousar, por estarem circulando no espaço aéreo brasileiro sem autorização. Já na Copa do Mundo, em 2014, as aeronaves também foram utilizadas para a defesa do espaço aéreo e de pontos estratégicos nas cidades-sede. Com a aposentadoria dos Mirage em 2013, o F-5 passou a ser a principal aeronave para defesa aérea e policiamento do espaço aéreo brasileiro, juntamente com os caças A-1 M. Para isso, os F-5 passaram por um processo de modernização, com início em 2006 e conclusão em 2013, que incluiu a troca do radar, dos sistemas de bordo e dos armamentos. A aeronave conta hoje com equipamentos como um sensor de mira acoplado ao capacete, que pode ser utilizado para guiar os mísseis com o movimento da cabeça do piloto. Foto: CECOMSAER/Sgto. Bruno Batista

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn