FAB conclui avaliação operacional para lançamento de cargas do SC-105 Amazonas

Estudo realizado permitirá desenvolver novas técnicas para o lançamento de fardos em missões SAR

O Instituto de Aplicações Operacionais (IAOp), subordinado ao Comando de Preparo (COMPREP) e situado no campus do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos/SP, tem por missão conduzir as atividades de Aplicações Operacionais. As ações ocorrem por meio do desenvolvimento de técnicas, táticas e soluções operacionais, a fim de contribuir para o preparo e o emprego da Força Aérea Brasileira. Uma das principais atividades realizadas pelo Instituto são as Avaliações Operacionais (AVAOP), processo pelo qual se avaliam a eficiência e a adequabilidade operacional de um sistema. O desenvolvimento de novas técnicas se fez necessário nas ações de Busca e Salvamento (SAR). Para apoiar os sobreviventes e a equipe de resgate é necessário prover-lhes água, mantimentos, roupas, medicamentos, botes infláveis e outros insumos, o que pode ser feito por meio do lançamento de fardos a partir da aeronave SC-105 Amazonas. Este lançamento, contudo, depende do cálculo preciso do ponto onde a carga deve ser lançada para que atinja o local desejado, o que por sua vez, depende do conhecimento das características do paraquedas empregado. Até então, o cálculo era realizado manualmente pelos pilotos e algumas das características aerodinâmicas do equipamento eram desconhecidas. Assim, em agosto deste ano, o IAOp conduziu a avaliação do Ponto de Lançamento Calculado (CARP) do Sistema de Gerenciamento de Voo (FMS) da aeronave SC-105 Amazonas. Isto é, a avaliação do ponto de lançamento de cargas calculado pelo sistema computacional do avião. Os objetivos foram determinar os dados necessários para seu funcionamento adequado, avaliar a precisão dos lançamentos, verificar a possibilidade de aplicá-lo a lançamentos noturnos e por fim, definir as técnicas operacionais para sua utilização. Os dados obtidos serão agora analisados e todos os resultados, incluindo as novas técnicas, serão apresentados no Relatório de Avaliação Operacional (RAVAOP), que será submetido para apreciação. Após definir os perfis de voo e calcular a quantidade mínima de lançamentos que deveriam ser realizados para que os dados coletados tivessem a devida confiabilidade, o Instituto deslocou alguns militares de sua equipe técnica para a Ala 5, em Campo Grande/MS, onde realizou com o apoio do Esquadrão Pelicano, a parte prática do experimento. Ao todo, foram realizados cerca de 60 lançamentos de carga. Mais informações no portal www.fab.mil.br. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn