FAB inicia a operação da primeira Torre de Controle de Aeródromo Remota

Estrutura foi instalada na Ala 12, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro, e é composta por 16 câmeras interligadas a 14 monitores de alta definição

O dia 18 de outubro de 2019 ficará marcado para a história do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Nesta data, entrou em operação no aeródromo de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, a primeira Torre de Controle Remota da América Latina. A apresentação ocorreu durante a cerimônia alusiva ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, ocorrida em Brasília/DF. A partir desta nova modalidade de operação, a visualização do controlador de tráfego aéreo da torre convencional será substituída pelo acompanhamento de monitores que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras posicionadas próximas da pista, proporcionando ao controlador uma visão abrangente. Foram quase seis meses de obras para equipar a torre e tornar exequível esta nova tecnologia, a primeira a ser estabelecida no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). A estrutura, instalada na Ala 12, é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir da qual será possível a mudança de enquadramento, ou seja, o aumento da imagem até 24 vezes, para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância. As câmeras, fixadas na área externa, estão interligadas a 14 monitores de 55 polegadas de altíssima definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada. Em tempo oportuno, serão disponibilizadas publicações que norteiem o processo de implantação da modalidade remota do serviço de controle de aeródromo à comunidade aeronáutica. Na torre remota, serão realizadas as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas. No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso, como nos Estados e Municípios da Região Norte do país. Mais informações no portal www.fab.mil.br. Foto: CECOMSAER

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn