FAB treina embarque e desembarque de tropa em terreno hostil

Ação será usada para subsidiar a produção de manual para incorporar doutrina da ONU

O Esquadrão Onça, que emprega a aeronave C-105 Amazonas e o Batalhão de Infantaria de Aeronáutica de Campo Grande, ambos sediados na Base Aérea de Campo Grande, treinaram embarque e desembarque de tropa e não-combatentes em terreno hostil. O exercício conjunto é considerado um fato inédito para a aviação de transporte da Força Aérea Brasileira. Armados, os militares de infantaria e a tripulação devem atuar na proteção da aeronave, movimento da tropa e dos passageiros enquanto em solo, desde o taxiamento até a parada no local selecionado e seu retorno à base de operações. A ação testou as coordenações entre as equipes para posicionamento de atiradores, por exemplo. A ação pode ser usada para embarque e desembarque de carga, tropas ou não-combatentes, tanto em casos de calamidades, catástrofes e em áreas de conflitos, assim como o apoio do Brasil à operações da Organização das Nações Unidas (ONU). O exercício vai subsidiar conhecimentos para editar uma proposta de manual de emprego que permita a incorporação dessa doutrina, já utilizada por algumas Forças Aéreas do mundo que atuam em missões sob a égide da ONU, como a Força Aérea Portuguesa em ação no Mali. Foto: CECOMSAER

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn