Grupo Especial de Inspeção em Voo recebe a terceira aeronave do Projeto I-X

Jato Legacy 500 permite que Brasil realize com autonomia homologação de procedimento de aproximação em aeroportos

O Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), localizado no Rio de Janeiro/RJ, recebeu a terceira aeronave-laboratório da Força Aérea Brasileira, modelo Legacy 500. O processo de renovação desses tipos de vetores e equipamentos faz parte do Projeto I-X, sob responsabilidade da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), unidade que conduz projetos de desenvolvimento, aquisição e modernização de equipamentos militares. O contrato contempla a aquisição do jato para o cumprimento da atividade de inspeção em voo e de radiomonitoragem em todo o território nacional. Prevê ainda a entrega de mais uma aeronave até o final de 2019. Para receber o Legacy 500, o GEIV formou em órgãos no exterior, 24 pilotos e 30 mantenedores, entre mecânicos de voo e operadores de sistema de inspeção em voo, conforme previsto no acordo de compensação do contrato. Para os pilotos, a formação consistiu em aulas teóricas e treinamentos em simuladores na Flight Safety International, nos Estados Unidos, além de instruções práticas na própria aeronave, orientadas por profissionais da Embraer. O Legacy 500 possui novos recursos de navegação, comunicação e vigilância aérea, tecnologia de ponta e sistemas embarcados de última geração. Sua cabine tem novidades como o uso de joysticks no lugar dos manches. O sistema de controle de voo, do tipo fly by wire, é inédito para aeronaves de sua categoria. Nesta modalidade, os comandos de voo são enviados por sinais eletrônicos. Para gerir o espaço aéreo brasileiro com segurança e eficácia, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) precisa manter aferidos e operando seus equipamentos de auxílios à navegação aérea, aproximação e pouso, bem como procedimentos de navegação aérea de grande precisão. O GEIV, subordinado ao DECEA, tem por missão aferir a eficácia desses sistemas, equipamentos e procedimentos de modo a garantir uma operação segura a todas aeronaves em circulação no espaço aéreo brasileiro durante todas as fases de voo, sobretudo em condições meteorológicas adversas. Mais informações no portal www.fab.mil.br. Foto: Benito Latorre

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn