Japão adquire o quinto jato Dassault Falcon 2000 MSA

Compra destaca a crescente demanda pelas chamadas aeronaves multimissão

Novas encomendas do Japão, França e Alemanha reforçam a expansão contínua da fabricante francesa Dassault Aviation no mercado de jatos multimissão. O acordo mais recente envolve a Guarda Costeira do Japão, que adquiriu mais uma aeronave Falcon 2000 MSA (Maritime Surveillance Aircraft) para reforçar sua capacidade de patrulhamento marítimo. A unidade havia encomendado anteriormente quatro aeronaves do tipo, baseadas no Falcon 2000LXS com autonomia de 4.000 nm. O primeiro será entregue em 2019. A versão é projetada para uma ampla gama de missões, incluindo vigilância marítima, controle de pirataria, interdição de drogas, patrulha de pesca, aplicação da lei, busca e salvamento, inteligência e reconhecimento. Oferece combinação de tamanho, carga útil, velocidade, alcance e aquisição, além de custos operacionais mais baixos. A aquisição japonesa segue uma decisão da agência de compras francesa DGA de comprar três aeronaves de inteligência eletrônica Falcon de longo alcance para o novo Programa Universal de Capacitação de Guerra Eletrônica da França, chamado ELINT (electronic-intelligence). A aeronave francesa (ELINT) substituirá dois aviões Transall C160G Gabriel e será entregue a partir de 2025. Eles levarão um novo sensor Thales derivado da experiência com o pacote de guerra eletrônica integrado no caça Rafale, que será capaz de interceptar uma ampla gama de sinais de rádio e radar simultaneamente. A Dassault também está envolvida em um programa de inteligência de sinais com a Coreia do Sul, baseado em dois jatos Falcon 2000. Essas aeronaves estão programadas para entrar em serviço operacional em breve. Um terceiro acordo recente envolve o Centro Espacial e de Pesquisa Aeroespacial da Alemanha, que comprou um Dassault Falcon 2000LX para uso como veículo de pesquisa de sistemas e tecnologia de transporte aéreo (iSTAR). Para ser usado inicialmente em uma capacidade de teste de voo convencional, a aeronave será posteriormente atualizada para o status iSTAR completo, capaz de simular novos projetos de aeronave, reais ou virtuais, pilotados ou não, em condições reais de operação. Cerca de 6% da frota mundial da Falcon opera em aplicações multimissão e governamentais. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn