Operação Ostium da FAB combate voos irregulares ligados ao narcotráfico

Atividade de defesa aérea será intensificada na região de fronteira com a Bolívia e o Paraguai

A Força Aérea Brasileira iniciou nesta semana a Operação Ostium, que irá reforçar a vigilância no espaço aéreo sobre a região de fronteira do Brasil com a Bolívia e o Paraguai. O objetivo é coibir voos irregulares que possam estar ligados a crimes como o narcotráfico. Devem participar da operação aeronaves de caça A-29 Super Tucano, helicópteros H-60 Black Hawk e AH-2, aviões-radar E-99, aeronaves de reconhecimento R-35A e RA-1 e Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP) RQ-450. As atividades devem prosseguir até o fim do ano e envolvem a instalação temporária de radares móveis em cidades próximas às fronteiras, como Chapecó/SC e Corumbá/MS; reforço das operações aéreas nas bases da Força Aérea Brasileira; e deslocamento de aeronaves militares para cidades como Cascavel/PR, Foz do Iguaçu/PR e Dourados/MS. Em todas essas cidades, haverá tropas para promover a segurança de equipamentos e aeronaves. As ações serão coordenadas a partir do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), localizado em Brasília/DF e fazem parte do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), do Ministério da Defesa. Mais informações no portal www.fab.mil.br. Foto: CECOMSAER

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn