P-3AM realiza missão de guerra antissubmarina no Sul

O treinamento faz parte da Operaçao Atlântico que reúne 10 mil militares

Um avião P-3AM Orion decolou da Base Aérea de Florianópolis no último dia 20 de novembro para detectar, identificar e localizar um suposto submarino inimigo no mar territorial da região Sul. No treinamento conjunto com a Marinha, os militares empregaram equipamentos e táticas reais em um ambiente de guerra simulada. Curvas apertadas e voo a baixa altura são as características exigidas neste tipo de missão. A aeronave com modernos sensores e vários operadores especialistas a bordo varreu uma área delimitada pela Marinha em busca de ameaças que pudessem cruzar o o caminho da Força Naval amiga lá embaixo. No jargão militar, a ação é chamada de guerra antissubmarina. Durante o exercício, o P-3AM lançou sonobóias, equipamentos que captam sons emitidos por submarinos e embarcações. Em contato com a água do mar, as sonobóias se abrem e hidrofones passam a enviar para os computadores a bordo as informações sonoras. Durante oito horas de voo, mais de 70 embarcações reais foram registradas pelos sensores e analisadas pelos operadores que têm alto grau de especialização. Além dos modernos sensores eletrônicos, a autonomia também é outro diferencial do P-3AM. O quadrimotor pode permanecer em voo durante 16 horas, o que equivalente a uma viagem de Recife a Madri sem escalas. Tudo isso confere ao P-3AM a capacidade estratégica de vigilância marítima de longo alcance.O treinamento faz parte da Operaçao Atlântico que reúne até o fim do mês 10 mil militares em uma faixa do litoral entre Santa Catarina e Espírito Santo.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn