Sistema de transporte baseado em drones pode reduzir emissões de CO2 em até 25%

Indra criou conjunto de soluções avançadas para gerenciamento do tráfego aéreo não tripulado de baixa altitude

A empresa global de consultoria e tecnologia Indra acredita que os drones têm potencial para reduzir a emissão de gases poluentes. De acordo com a empresa, um sistema de transporte eficiente baseado nas aeronaves não tripuladas poderia reduzir as emissões de CO2 em 25%. Para alcançar esse objetivo, a Indra afirma que é essencial desenvolver um sistema de gestão seguro e eficiente para o tráfego de drones em locais urbanos. Pensando nisso, firmou um consórcio com a Universidade do Sudeste, na Noruega, e o Andøya Space Center para implantar um sistema de gestão de tráfego aéreo não tripulado capaz de facilitar a mudança de transporte terrestre baseado em combustíveis fósseis para uma infraestrutura aérea não tripulada. Chamado de Pilot-T, o projeto deve mapear corredores de tráfego para voos não tripulados, a integração de diversos sensores eletrônicos e óticos no sistema, as necessidades de comunicação, como manter a integridade e a segurança dos sistemas. A finalização da iniciativa está prevista para 2021 e segue a estratégia da Indra de se tornar uma das principais empresas em tecnologia para aeronaves não tripuladas. Recentemente, a companhia lançou o Air Drones, conjunto de soluções avançadas para o gerenciamento do tráfego aéreo não tripulado a baixa altitude (abaixo de 150 metros) em cidades, regiões e países. A empresa também trabalha com a SESAR JU, a aliança público-privada europeia que tem como objetivo transformar o tráfego aéreo em algumas das principais demonstrações de voo de drones, compartilhando o mesmo espaço aéreo que as aeronaves convencionais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn