Voa o primeiro Lockheed Martin F-35 da Dinamarca

 

A Lockheed Martin voou o primeiro exemplar de um F-35A destinado à Real Força Aérea Dinamarquesa (RDAF, Flyvevåbnet). O piloto de testes da empresa Joe “Hooch” Hutcheson estava no controle do vôo inaugural de 90 minutos, realizado na fábrica de Fort Worth em 8 de março.

“Alcançar o primeiro voo do primeiro F-35 é um marco importante para o programa F-35 da Dinamarca e um testemunho das habilidades excepcionais de nossa equipe conjunta dedicada e altamente treinada da indústria e do governo”, disse o vp e gerente geral do F-35 Bill Brotherton. “O foco desta equipe em entregar o caça mais eficaz, com mais capacidade de sobrevivência e mais conectado do mundo que garantirá a proteção soberana da Dinamarca e fortalecerá aliados e parceiros por meio da coalizão F-35 da OTAN.”

Após os voos de verificação do fabricante e do governo, o L-001 deve ser formalmente entregue ao RDAF em abril. Ele permanecerá nos EUA em Luke AFB, Arizona, onde será empregado para treinamento de pilotos e mecânicos sob os auspícios do 308º Esquadrão de Caça da Força Aérea dos EUA, parte do 56º Ala de Caça.

O RDAF espera receber seu primeiro F-35A em solo nacional em 2023. Vinte e sete estão encomendados e eles servirão com a ala de caça em Skrydstrup. A ala atualmente tem dois esquadrões (Esk 727 e 730) voando em torno de 30 F-16AM / BMs. Além dos compromissos de defesa aérea doméstica, a força F-16 dinamarquesa contribui para os destacamentos de defesa aérea da OTAN nos Estados Bálticos e na Islândia. Também implantou aeronaves para a Operação Allied Force sobre Kosovo em 1999, para o Quirguistão para operações Enduring Freedom sobre o Afeganistão em 2002 e para o Unified Protector sobre a Líbia em 2011. O F-35 substituirá o F-16 inteiramente em serviço RDAF, um processo previsto para ser concluído em 2025.

Foto: Lockheed Martin

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn