Airbus estima que frota de aeronaves na Rússia e CEI dobrará até 2037

Crescimento do tráfego na região gerará demanda para mais de 1.200 novos aviões

Segundo estudo divulgado pela fabricante europeia Airbus, as companhias aéreas russas e da CEI precisarão de 1.220 novas aeronaves avaliadas em US$ 175 bilhões nos próximos 20 anos. Isso significa que a frota de passageiros na região quase dobrará, de 857 em serviço hoje para mais de 1.700 em 2037. Durante o período, o tráfego de passageiros na Rússia e na região da CEI crescerá à taxa média de 4,1% ao ano. Até 2037, a propensão para as viagens aéreas na Rússia será mais que o dobro. Na região, no pequeno segmento que normalmente cobre o espaço onde a maioria dos aviões de corredor único de hoje competem, há uma exigência de 998 novos modelos de passageiros e no segmento para operações que exigem capacidade adicional e flexibilidade de alcance, representadas por aeronaves widebodies e aeronaves de corredor único de longo alcance, a Airbus prevê demanda para 140 aeronaves de passageiros. Para capacidade adicional e flexibilidade de alcance, há uma necessidade de 39 aeronaves. No segmento tipicamente refletindo as operações de alta capacidade e longo alcance dos maiores tipos de aeronaves, a empresa prevê demanda para 44 aeronaves de passageiros. O estudo prevê que nos próximos 20 anos as companhias aéreas na região da Rússia e da CEI continuarão a renovar suas frotas com a introdução de modelos mais econômicos no consumo, eliminando gradualmente as aeronaves da geração anterior. A duplicação da frota exigirá mais de 23.000 novos pilotos e 27.960 especialistas técnicos adicionais. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn