A Airbus Helicopters está adiando o primeiro voo de seu composto Racer – que significa helicóptero rápido e econômico – para 2022. Um porta-voz da empresa disse que o atraso foi resultado da "desaceleração de várias linhas de produção causada pela pandemia".

Quando anunciado em 2017, a Airbus disse que o Racer iniciaria voos em 2020. Apesar dos atrasos, o programa já alcançou marcos significativos, incluindo a aprovação na revisão crítica do projeto em 2019 e, mais recentemente, a fabricação de itens de longo prazo em 2020, com componentes importantes como como o canopy, as carenagens laterais compostas e a lança da cauda já entregues. A montagem dos principais subconjuntos também começou no ano passado, e o porta-voz disse que a Airbus Helicopters espera lançar a montagem final do veículo "nas próximas semanas" em sua unidade de produção em Merignane, França.

O Racer foi projetado para voar quase duas vezes mais rápido que um helicóptero convencional, com velocidades de cruzeiro de até 405 km/h. Em velocidade de cruzeiro, cerca de metade da sustentação do helicóptero vem de suas asas fixas. O alcance da aeronave é de 740 km e na configuração executiva, a aeronave terá capacidade para acomodar de seis a oito passageiros. A aeronave é derivada do programa de pesquisa H2020 da Comissão Europeia como parte da iniciativa Clean Sky 2. Ele é movido por um par de motores Safran Aneto-1X de 2.500 shp que fornecem 25% mais potência do que motores de tamanho semelhante.

Foto: Airbus