ALTA celebra 40 anos de serviço ao setor aéreo

Organização reafirma seu compromisso com a aviação na América Latina e no Caribe

Em abril de 1980, na Colômbia, 12 companhias aéreas latino-americanas fundaram a Associação Internacional de Transporte Aéreo da América Latina (AITAL): Aerolíneas Argentinas, Aeromexico, Aeroperu, Avianca, Cruzeiro do Sul, Varig, Companhia Equatoriana de Aviação, Lacsa, Companhias Aéreas do Paraguai, Lloyd Aéreo Boliviano, Mexicana de Aviação e Viasa. A fundação da AITAL foi uma resposta à situação da indústria e à necessidade de um fórum comum para analisar e discutir em pé de igualdade os problemas que atormentavam o transporte aéreo internacional e em particular, na América Latina, com o objetivo de definir diretrizes para a melhor defesa dos interesses regionais em benefício mútuo do transporte aéreo na região e de seus usuários. Em 2003, após duas décadas estabelecidas em Bogotá, a associação alcançou um marco importante com o estabelecimento de sua sede em Miami, levando em consideração a importância que essa cidade assumiu no contexto internacional e a conectividade que ofereceu a todos os países da América Latina e Caribe. As mudanças estruturais ocorridas na época na Associação levaram à mudança oficial do nome para Associação Latino-Americana de Transporte Aéreo em 2004. A organização abriu a possibilidade de se associar a companhias aéreas regionais e domésticas, com companhias extra-regionais operando na América Latina e com fornecedores de diferentes linhas de negócios. Com a expansão, a ALTA incluiu as companhias aéreas do Caribe e atualizou seu nome como Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe. Em 2018, a ALTA alcançou um novo marco com o estabelecimento de sua sede na Cidade do Panamá, a reestruturação da equipe e a visão da associação e, posteriormente, a transformação de sua identidade corporativa sob o lema ALTA em movimento. Ao longo de sua história, a associação acompanhou e apoiou seus membros em diferentes circunstâncias, como as crises do petróleo, 11 de setembro de 2001, a crise financeira de 2008 e atualmente, a mais grave crise econômica e financeira que o setor enfrenta como resultado da pandemia do COVID-19. A região da América Latina e do Caribe tem 16 anos consecutivos de crescimento no tráfego de passageiros, impulsionada principalmente por uma população crescente que se desloca por via aérea em seus países. Com melhorias na conectividade e capilaridade, a aviação consegue cada vez mais conectar todos os cantos da região, até lugares remotos, gerando mais oportunidades, comércio, turismo e empregos. O trabalho da indústria e do governo tem sido e continuará sendo a chave para alcançar esse objetivo e, nessa circunstância sem precedentes, mais do que nunca, o trabalho conjunto dará frutos para o bem-estar da população. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn